Notícias

Confira as principais informações do setor

Quais os sinais que alertam carência nutricional no organismo?

O corpo nos dá sinais constantes de que algo está faltando e é preciso escutar estas chamadas para poder reparar a tempo determinados desequilíbrios, assim como conhecer os detalhes das evidências de déficit de cada nutriente.

De acordo com Vanderli Marchiori consultora em nutrição da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (ABITRIGO) a deficiência de vitaminas e minerais é um grande complicador do nosso metabolismo.  “Não consumir vitaminas diariamente não só causa doenças em si, mas também ‘prepara o terreno’ para que outras enfermidades apareçam. Os principais sinais que o nosso corpo nos aponta quando estamos com carência de nutrientes pode ser percebido quando nos sentimos cansados demais ou com sono excessivo; pensamentos confusos; excesso de apetite; baixa concentração; memória ruim; dificuldade de digerir as refeições; queda de cabelo; unhas quebradiças; pele opaca e ressecamento de olhos e da pele”, explica.

A especialista destaca ainda que as enzimas – proteínas que ajudam em algumas reações biológicas do corpo como, contribuir para a desintoxicação do organismo, digestão e absorção do alimento – e os hormônios – substâncias químicas produzidas por glândulas do sistema endócrino que atuam transportando informações entre as células – dependem de várias vitaminas, por exemplo as do tipo A e C e minerais como ferro e cálcio e selênio.

“É fundamental pontuar que nenhuma vitamina ou mineral funciona corretamente em nossas células sem energia, portanto, nosso equilíbrio celular está atrelado ao consumo mínimo de 25% de gorduras, 15% de proteínas e pelo menos 40% de carboidratos”, ressalta Vanderli.
 
Por isso, a especialista alerta: “não faça dietas restritivas sem necessidade e sem acompanhamento de profissionais capacitados”.
 
_____________________________________
Atendimento à imprensa:
TREE COMUNICAÇÃO
Kelly Viana
(11) 3093-3614
kelly.viana@tree.inf.br

Mariana Ortiz
(11) 3093-3618
mariana.ortiz@tree.inf.br

 

Fonte: ABITRIGO