Notícias

Confira as principais informações do setor

Especialistas discutem soluções para melhora da cadeia do trigo

O 23º Congresso Internacional do Trigo, promovido pela Associação Brasileira da Indústria do Trigo (ABITRIGO), realizado em Campinas (SP) entre os dias 16 a 18 de outubro, trouxe para mais de 500 participantes do setor moageiro a oportunidade de acompanhar debates com os principais temas relevantes para a indústria, como qualidade, sanidade, regulação e saudabilidade do cereal.

Alexandre Mendonça de Barros, Sócio Diretor da MB Agro, pontuou sobre o panorama do mercado interno e externo do cereal com a palestra “Cenário Global das Commodities e o Trigo”. Segundo o executivo, os custos de produção estão relativamente baixos devido à safra estar muito grande; os insumos com os preços ainda menores; e a preocupação cada vez maior com impulsos tecnológicos que melhoram a qualidade do produto final. “Acredito que estes fatores influenciam diretamente a taxa de desemprego, gerando estabilidade para o mercado doméstico com o preço dos alimentos menor, fazendo com que o consumidor volte mais confiante”, explica Mendonça de Barros.

O evento também colocou em pauta “O Novo Marco Regulatório dos Alimentos” com a especialista em alimentos Denise Resende em companhia do agrônomo Andre Nassar. Para ambos, a participação do setor privado nas iniciativas governamentais para melhorar qualidade dos alimentos é fundamental para definir parâmetros aplicáveis de utilização de vitaminas e substâncias em ingredientes.

De acordo com Andre Nassar, a produção de trigo no Brasil sempre foi baseada em políticas governamentais. “Começar a ter uma posição do setor de agronegócio sobre a carga tributária, já que existe grande potencial exportador, é essencial para que o mercado se solidifique, e isto deve ser prioridade parar alcançar melhoras na produtividade”, explica. Além disso, “manter e aumentar os subsídios agrícolas traz segurança e reduz riscos para mercado de trigo”, conclui.

Os participantes do congresso puderam acompanhar a mesa redonda “Políticas do Trigo”, com participação do Presidente do Conselho Deliberativo da ABITRIGO Marcelo Vosnika, do agrônomo Andre Nasser, do chefe geral da Embrapa Trigo Sérgio Dotto e do diretor de comercialização e abastecimento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) José Maria dos Anjos. O debate teve como objetivo discutir e pontuar medidas a fim de estimular o cultivo do grão de qualidade.

A jornalista Silvia Poppovic comandou um painel dedicado à alimentação saudável, no qual o educador físico Márcio Atalla, em companhia de Olga Silvério Amâncio, presidente da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN), analisou os hábitos alimentares dos anos 80 até aos dias atuais.

De acordo com Atalla, o estilo de vida de cada indivíduo é determinado pela rotina estabelecida por ele, e nos dias de hoje vivemos a “síndrome do conforto”. “O ser humano nunca se movimentou por prazer e sim pela necessidade. Atualmente não temos necessidade para nos movimentar para sobreviver, temos tudo ao alcance de nossas mãos. Por isso é importante não se acomodar e procurar a melhor forma de praticar alguma atividade física; pode até ser subir escadas ao invés de usar o elevador”, explicou.

Olga Amâncio defendeu que ter uma vida ativa vai além da perda de peso: “praticar exercícios fortalece o sistema imunológico, além de acelerar o metabolismo, diminuir o risco de doenças cardíacas e fortalecer os ossos” pontuou.

Finalizando a programação, a grade de palestra sobre convergência regulatória do MERCOSUL foi mediada pelo embaixador de presidente da ABITRIGO Rubens Barbosa. Entre os participantes estavam Guillermo Bernardo, membro da Agroindústria da Argentina, em parceria com Mario Leon, vice-ministro da Agricultura do Paraguay e Daniel Leitão, diretor econômico de Assuntos Comerciais do Mercosul (MRE).

De acordo com Daniel Leitão as negociações atuais envolvem compras governamentais e regulamentos técnicos. “É importante unificarmos todas as regras e demandas que surgirem, assim nos encorajamos a buscar soluções mais rápidas para um acordo comercial eficaz”, explicou.

Durante o discurso de encerramento do 23º Congresso Internacional do Trigo, Rubens Barbosa agradeceu a todos os patrocinadores, parceiros, amigos e palestrantes pelos dias dedicados aos assuntos de grande importância relacionados ao setor. “Vamos trabalhar forte para produzir, no próximo ano, um congresso à altura do sucesso desta edição”, finalizou.

Sobre a ABITRIGO

Fundada há 25 anos, a Associação Brasileira da Indústria do trigo (ABITRIGO) representa 45 empresas do setor de moagem, que respondem pelo processamento de aproximado de 75% do trigo no País. Atua como interlocutora do setor moageiro junto ao governo, mídia, entidades representativas da cadeia do trigo, no Brasil e em outros países.

_____________________________________

Atendimento à imprensa:  

TREE COMUNICAÇÃO  

Kelly Viana
(11) 3093-3614
kelly.viana@tree.inf.br

Mariana Ortiz
(11) 3093-3618
mariana.ortiz@tree.inf.br

Fonte: ABITRIGO