Notícias

Confira as principais informações do setor

Novas embalagens alertam sobre alerg

Quem costuma comprar massas, farinhas e biscoitos já está acostumado a ver impressa na embalagem a frase “contém glúten”. Desde dia 3 de julho, alguns desses produtos passaram a ter novos avisos, listando a presença de 21 alimentos que podem causar alergias (entre eles, o trigo, o centeio e a cevada). Essas informações devem vir logo após a lista de ingredientes, em letras maiúsculas, negrito e em cor diferente da da embalagem.

Quando algum desses alimentos que causam alergias for usado como ingrediente, a embalagem deve dizer “Alérgicos: contém (nome do alimento)”. Quando não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada dos produtos e de seus ingredientes e aditivos, o rótulo deve indicar “Alérgicos: pode conter (nome do alimento)”. Uma terceira opção é registrar “Alérgicos: contém (nome do alimento) e derivados”.

Pode parecer curioso avisar que a farinha de trigo contém glúten e também trigo, uma vez que eles são indissociáveis. Mas essa diferenciação tem um objetivo: alertar pessoas que têm problemas diferentes.

O aviso sobre o glúten é destinado a celíacos, pois essa proteína ativa uma resposta do sistema imunológico que causa inflamação no intestino de quem come trigo, cevada ou centeio.

Já o alerta sobre o trigo é importante para quem tem alergia apenas ao trigo, mas pode comer cevada e centeio.

A medida foi estabelecida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que deu à indústria um ano para adequar as embalagens de seus produtos. No entanto, nem todos os rótulos vão estar diferentes a partir do dia 3. Os alimentos fabricados até o dia 2 de julho podem ser vendidos com o rótulo anterior, sem a indicação dos alergênicos, até o final de seu prazo de validade.

Fonte: Portal Gl