Notícias

Confira as principais informações do setor

Apesar da crise, panifica

A despeito da retração da economia brasileira registrada em 2015, as empresas do segmento de Panificação e Confeitaria do País registraram vendas de R$ 84,7 bilhões, o que representa um crescimento de 2,7% em relação ao ano anterior. "Esse resultado mostra que, apesar das dificuldades vividas pela economia brasileira, o setor soube articular-se, vencendo seus principais desafios", comenta o presidente da Associação Brasileira da Indústria da Panificação e Confeitaria (Abip), José Batista de Oliveira.

Para superar as adversidades da conjuntura, ele conta que a panificação brasileira beneficiou-se com a adoção de medidas e tecnologias preconizadas e divulgadas pela Abip junto a seus associados. Como exemplos, cita a tecnologia do congelamento - que vem proporcionando ganhos de produtividade e redução de custos para o empresário - e o processo de fermentação lenta, que resulta na produção de pães mais saborosos e de maior durabilidade. "Além destas técnicas, é preciso destacar também o espírito empreendedor e inovador do empresário brasileiro. A somatória destes fatores faz da panificação brasileira um dos mais resilientes setores de nossa economia", afirma o presidente da Abip.

O número de empresas que compõem o segmento manteve-se estável no período, situando-se em 63,2 mil - a grande maioria composta por micro ou pequenas empresas. Já o número de funcionários caiu 3,76% em 2015. Hoje, a panificação emprega diretamente 818 mil pessoas e 1,8 milhão de forma indireta. Comparando-se com 2014, houve uma perda de 32 mil postos de trabalho.

O tíquete médio registrado teve uma média de crescimento de 7,6%, ao passo que o fluxo de clientes registrou uma queda de 4,2% no período. De outra parte, os negócios da panificação foram pressionados pelo aumento de 6,8% das despesas operacionais, sem falar na alta da própria inflação no período, da ordem de 10,67%.

"Diante deste indicadores, podemos dizer que a panificação registrou um bom desempenho no período. Superado esse momento mais crítico, o setor está preparado para atuar com maior determinação e energia em 2016, colhendo resultados ainda melhores", finaliza o presidente da Abip.

O levantamento foi realizado pelo Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria (ITPC) em parceria com a própria Abip, por meio de pesquisa realizada com 1.018 empresas de todo o país, abrangendo representantes do setor de todos os portes.

Mais informações:
Alex Branco - alex.branco@uol.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa