Notícias

Confira as principais informações do setor

Corte de carboidratos faz mal

Uma pesquisa feita por Alexandre e Chris Tulleken, dois gêmeos britânicos - e médicos - comprovou que o corte de carboidratos da dieta faz mal à saúde. Com o acompanhamento de uma nutricionista, Alexander cortou totalmente os carboidratos (pães, massas, cereais, etc.), enquanto Chris ingeriu uma quantidade mínima de gordura (frituras) durante um mês. Ambos podiam comer quanto quisessem, desde que seguissem à risca as limitações impostas. Eles também mantiveram uma rotina semelhante de exercícios físicos.

Ao final do experimento, ambos registraram queda de peso, mas a um preço muito alto, especialmente para Alexandre, que cortou carboidratos de sua dieta. Ele relata que começou a se cansar muito mais rapidamente e que perdeu fôlego nas atividades físicas. Além do cansaço ininterrupto, Alexander também passou a sofrer frequentes dores de cabeça. Já seu irmão, Chris, que cortou as gorduras, diz que nunca se sentia saciado e que, por isso, frequentemente se via beliscando petiscos.

Exames de sangue feitos pelos dois irmãos também atestaram problemas. O de Alexander, que cortou os carboidratos, revelou que parte da energia de que gastava era "roubada" por seu organismo de seus músculos - o que explica a sensação de cansaço endêmico. Já a análise de seu irmão apontou um perigoso aumento do índice de açúcar no sangue, que poderia provocar problemas de saúde a longo prazo.

Conclusão

Ao final do experimento, os médicos gêmeos concluíram que o ganho de peso não está ligado exclusivamente ao consumo de gordura ou ao de açúcar (carboidratos). O problema, na prática, é a combinação desses dois elementos, dizem eles.

Segundo estudos consultados por Alexander e Chris, a associação de gordura e açúcar - como achocolatados, sorvete ou batatas-fritas, por exemplo - têm um efeito semelhante ao da cocaína no corpo humano. A chave para entender por que essa combinação é tão perigosa está numa substância chamada dopamina, um neurotransmissor que controla a sensação de recompensa do cérebro.

Uma ingestão de carboidratos e gorduras eleva a dopamina, afetando o funcionamento do organismo. Segundo Alexander e Chris, a dica é: evite, ao máximo, as comidas processadas, que funcionam como uma "bomba viciante" e cujos efeitos para o corpo são devastadores.

Fonte: BBC/Assessoria de Imprensa