Trigo: Conab não faz alterações significativas

15/01/2018


As alterações feitas pela Conab no relatório de Janeiro sobre área/produtividade e produção de trigo da safra 2017/18 foram pequenas: queda de 9,79% (sobre dezembro de 2017) na área plantada, que foi reduzida para 1.911 hectares; e baixa de 1,25% na produtividade, que passou de 2.243 kg/ha para 2.215 kg/há e na produção, que passou de 4.299,4 mil tons para 4.233,5 mil tons, uma redução de 1,53%.

“Infelizmente a Conab não faz distinção de qualidade – quanto trigo pão, quanto trigo doméstico, quanto trigo forrageiro (para isso teria que haver um rigoroso sistema de análise em todo o país na boca dos armazéns que recebem os lotes das lavouras, um dia chegaremos lá), mas seria um dado importante para o planejamento dos moinhos”, lamenta a Consultoria Trigo & Farinhas.

“A grosso modo, porém, nesta safra, dos 4,23 milhões de tons produzidas de trigo, cerca de 1,0 milhão de tonsdevem ser de trigo forrageiro, impróprias para consumo humano e que deve ser objeto das exportações (600 mil tons segundo a Conab, então 400 mil para as fábricas de ração do mercado interno). Restariam, assim, à disposição dos moinhos, entre trigo pão e trigo doméstico, algo ao redor de 3,23 milhões de tons para moagem”, explica a T&F.

O dado mais importante, então, passa a ser a demanda, cuja mensuração a Abitrigo está fazendo e deve divulgar no final de fevereiro. “Até lá, tudo será um pouco de especulação, porque alguns moinhos juram de pés juntos que a moagem caiu quase 40% em 2017 – o que reduziria muito o dado de moagem”, conclui o analista Luiz Fernando Pacheco.


Fonte: Agro Link